Desperta seu sorriso saudável

Não seria exagero dizer que em algum momento da vida você precisou lidar com halitose, seja consigo ou com algum conhecido. No Brasil, pesquisas apontam que aproximadamente 30% da população sofre com este problema. Na maioria das vezes, a simples presença de mau hálito pode provocar sérios prejuízos pessoais, emocionais e até profissionais.

Apesar de não ser propriamente uma doença, o mau hálito é visto como um sintoma de vários desequilíbrios que ocorrem no organismo, provocando um odor bastante desagradável vindo da boca durante a expiração.
Maioria das causas pode ser bucal
Segundo a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), existem aproximadamente 60 causas distintas para o mau hálito. Porém, vale ressaltar que, segundo alguns estudos, as origens do mau hálito podem ser bucal (de 92% a 96 % dos casos) ou extrabucal (de 4% a 7% das ocorrências). Entre as diversas causas do mau hálito estão o fumo, infecções respiratórias, refluxo ácido e higiene bucal inadequada.

Contudo, as causas mais comuns originadas na cavidade bucal são a saburra lingual e as doenças da gengiva. Quando o problema é originado nas vias aéreas superiores, os principais responsáveis são o jejum prolongado, a ingestão de alimentos odoríferos (capazes de alterar o hálito), o diabetes não compensado, a hipoglicemia e as alterações hepáticas, renais e intestinais.
Tratamento deve ser com especialista
Para o tratamento da halitose e das alterações de comportamento que ela provoca é preciso consultar um profissional capacitado, com conhecimento multidisciplinar, nas diversas especialidades odontológicas e noções de psicologia, otorrinolaringologia, distúrbios do sono, gastroenterologia, nutrição e endocrinologia, entre outras.

Mas se você tomar alguns cuidados em casa com sua higiene bucal algumas dores de cabeça podem ser evitadas. Estudos comprovam que a escovação dos dentes e da língua, pelo menos três vezes ao dia, com um creme dental antibacteriano com flúor, combinada com o uso do fio dental e antisséptico bucal, pode ajudar a eliminar o mau hálito.




…

Mau hálito pode provocar prejuízos pessoais, emocionais e profissionais

Não seria exagero dizer que em algum momento da vida você precisou lidar com halitose, seja consigo ou com algum conhecido. No Brasil, pesquisas apontam que aproximadamente 30% da população sofre com este problema. Na maioria das vezes, a simples presença de mau hálito pode provocar sérios prejuízos pessoais, emocionais…

Saiba mais
dentes

Conhecendo seus dentes

Os cuidados com os seus dentes são importantes desde a infância, seguindo pela vida adulta. Desde o nascimento do primeiro dente, até o início da substituição dos provisórios pelos permanentes, por volta dos seis anos de idade. Mas você sabia que a quantidade de dentes entre os adultos e crianças…

Saiba mais
grávida

Grávidas podem fazer obturação?

Sim. É possível que gestantes possam passar por esse tipo de procedimento. Mas o primeiro passo é saber que o seu dentista precisa ter consciência da sua condição de gestante. Isso porque baseado nisso ele poderá escolher os melhores materiais e, até mesmo, ponderar a urgência do procedimento. Qual tipo de…

Saiba mais
Cárie

5 mitos sobre a cárie

Nem todos têm consciência, mas cuidados básicos com a saúde bucal ajudam a prevenir a cárie e manter o sorriso saudável. Hábitos alimentares, higiene oral inadequada e hereditariedade são alguns dos fatores que aumentam a incidência da cárie. É preciso ficar alerta, pois se você não procurar o seu dentista…

Saiba mais
odontopediatra

Seu bebê deve visitar com frequência um odontopediatra

Ao sinal do primeiro dente, não perca tempo! Já é a hora de marcar a primeira consulta com um odontopediatra. E, depois desse primeiro encontro, as visitas devem ser repetidas a cada seis meses, assim como é importante para todos os adultos. Mas você pode afirmar: Ora, os dentes de…

Saiba mais