Desperta seu sorriso saudável

Você sabe de onde vem a palavra “trabalho”? Então senta que lá vem a história. “Trabalho” vem da palavra “Tripallium”  e era o nome dado a um instrumento de tortura formado por três paus.  O que leva a gente a deduzir que “trabalhar” significa ser torturado. Agora me diz como é que você, sabendo ou não disso, vai conseguir olhar o trabalho como algo edificante, construtivo, com propósito, se há séculos o ofício traz essa energia de coisa ruim, que machucava, feria, fazia mal e ainda era desumano, uma vez que os torturados pelo tripallium eram os escravos e os pobres que não podiam pagar os impostos. Chega a dar arrepio, né verdade? Mas a gente pode, e deve, ressignificar isso. E acredite, nem precisa de muita coisa pra tirar essa energia negativa do trabalho nosso de cada dia. Acompanha esse texto até o fim e você vai pegar excelentes dicas pra mudar esse estigma que nos persegue há gerações e gerações, mesmo sem a gente nem perceber.  



Cada vez mais vai ser menos admissível estar em um ambiente corporativo que não te traga sensação de bem-estar. Isso podia até soar meio utópico, há 20 anos, mas hoje não há time que permaneça motivado, disposto e engajado, se ele não se sente bem no local de trabalho, se não enxerga um propósito no que faz, se não encontra uma boa razão, além do salário, pra levantar da cama todo dia e ir pra empresa



Foi olhando pra tudo isso, pra dentro e pra fora da nossa Clin, que encontramos o que entendemos ser o melhor caminho, em meio a maior crise que o mundo já enfrentou. Hoje podemos dizer que escolhemos a melhor estrada. Não a mais segura, muito menos a mais iluminada e fácil de percorrer. Mas a estrada que nosso time já conhece bem. Escolhemos a ousadia, o fazer diferente. Por aqui dominamos bem esses caminhos.



E foi justamente no momento mais difícil que a gente cresceu. Crescemos em vontade, em ideias, na certeza de que podemos revolucionar. Enfrentamos o medo, a insegurança, e transformamos todos esses sentimentos em ações concretas. A frase “sempre foi assim” foi definitivamente trocada pelo questionamento:“por que tem que ser assim?” e “questionar” virou nosso verbo favorito.  Aí seguimos repensando tudo.



Hoje, quatro meses depois de todo esse alvoroço, trazido pela pandemia, ter chacoalhado a nossa vida pessoal, a economia e o mundo corporativo, nossa gente está ainda mais unida e nossos serviços totalmente voltados a esse tão falado ‘novo normal’. Não há nada melhor pra motivar sua equipe, que se mostrar atento ao momento, tomando os devidos cuidados, mas, acima de tudo, totalmente disposto e cheio de vontade de continuar remando, mesmo com o vento soprando contra. É que pessoas são inspiradas por pessoas, sabe? O exemplo é o melhor professor. Como desejar ter colaboradores que não sintam o trabalho com uma fardo pesado demais de carregar, se nós mesmo nos mostramos cansados e desmotivados? Se a gente se deixar abater, a rotina vira tripallium, ou…

E quando alguém em casa te pergunta: “por que você tem que ir trabalhar?”

Você sabe de onde vem a palavra “trabalho”? Então senta que lá vem a história. “Trabalho” vem da palavra “Tripallium”  e era o nome dado a um instrumento de tortura formado por três paus.  O que leva a gente a deduzir que “trabalhar” significa ser torturado. Agora me diz como é que você, sabendo ou não disso, vai conseguir olhar o trabalho como algo edificante, construtivo, com propósito, se há séculos o ofício traz essa energia de coisa ruim, que machucava, feria, fazia mal e ainda era desumano, uma vez que os torturados pelo tripallium eram os escravos e os pobres que não podiam pagar os impostos. Chega a dar arrepio, né verdade? Mas a gente pode, e deve, ressignificar isso. E acredite, nem precisa de muita coisa pra tirar essa energia negativa do trabalho nosso de cada dia. Acompanha esse texto até o fim e você vai pegar excelentes dicas pra mudar esse estigma que nos persegue há gerações e gerações, mesmo sem a gente nem perceber.  

Cada vez mais vai ser menos admissível estar em um ambiente corporativo que não te traga sensação de bem-estar. Isso podia até soar meio utópico, há 20 anos, mas hoje não há time que permaneça motivado, disposto e engajado, se ele não se sente bem no local de trabalho, se não enxerga um propósito no que faz, se não encontra uma boa razão, além do salário, pra levantar da cama todo dia e ir pra empresa

Foi olhando pra tudo isso, pra dentro e pra fora da nossa Clin, que encontramos o que entendemos ser o melhor caminho, em meio a maior crise que o mundo já enfrentou. Hoje podemos dizer que escolhemos a melhor estrada. Não a mais segura, muito menos a mais iluminada e fácil de percorrer. Mas a estrada que nosso time já conhece bem. Escolhemos a ousadia, o fazer diferente. Por aqui dominamos bem esses caminhos.

E foi justamente no momento mais difícil que a gente cresceu. Crescemos em vontade, em ideias, na certeza de que podemos revolucionar. Enfrentamos o medo, a insegurança, e transformamos todos esses sentimentos em ações concretas. A frase “sempre foi assim” foi definitivamente trocada pelo questionamento:“por que tem que ser assim?” e “questionar” virou nosso verbo favorito.  Aí seguimos repensando tudo.

Hoje, quatro meses depois de todo esse alvoroço, trazido pela pandemia, ter chacoalhado a nossa vida pessoal, a economia e o mundo corporativo, nossa gente está ainda mais unida e nossos serviços totalmente voltados a esse tão falado ‘novo normal’. Não há nada melhor pra motivar sua equipe, que se mostrar atento ao momento, tomando os devidos cuidados, mas, acima de tudo, totalmente disposto e cheio de vontade de continuar remando, mesmo com o vento soprando contra. É que pessoas são inspiradas por pessoas, sabe? O exemplo é o melhor professor. Como desejar ter colaboradores que não sintam o trabalho com uma fardo pesado demais de carregar, se nós mesmo nos mostramos cansados e desmotivados? Se a gente se deixar abater, a rotina vira tripallium, ou seja, tortura.   

‘Despertar o próximo sorriso’ continua sendo o nosso propósito. E agora com todos os novos serviços que entregamos aos nossos beneficiários, esse sorriso passou a significar mais saúde física e mental. Todo mundo já ouviu falar que saúde começa pela boca, né? E essa frase não se refere apenas ao tipo de alimento que a gente consome. A saúde está no que falamos, no que calamos, no tipo de comida que escolhemos, na gargalhada, no grito de medo, no choro preso… Por isso agregamos médicos e psicólogos ao nosso time, que já contava com dentistas, disponíveis 24 horas, no nosso ClinApp. Inovação é mudança de atitude e não há momento melhor pra rever essas atitudes e traçar novas rotas, do que um período de crise. Foi isso que fizemos. Todos juntos.

A nossa empresa cuida da saúde de milhares de famílias, além da nossa. Porque sim, somos a família Clin e fazemos tudo acontecer. Mudamos o dia a dia, a forma de fazer, alteramos objetivos e metas, mas mantivemos o nosso foco na nossa gente. Nosso combustível é ver as pessoas chegando pra trabalhar, certas de que estão contribuindo pra algo verdadeiro, capaz de transformar vidas. Não há felicidade plena e inabalável em nenhum lugar. Nenhum. Os problemas existem e é bom que existam. É aprendendo a resolver problemas que a gente descobre coisas novas e todo o potencial da nossa mente. O que buscamos é a união das pessoas e a compreensão delas a respeito do que estão fazendo dentro da companhia. Queremos que cada uma saiba do seu valor, da sua importância em cada etapa da operação. Pra isso é preciso passar pra elas o sentimento de união e transparência nas relações. Quando uma companhia consegue transmitir essa verdade pros seus colaboradores, todas as barreiras são ultrapassadas. Todas. Não há limites quando a vontade de ir além domina o coração da gente. Um time unido não se acomoda.

Cuide da sua gente, pra que ela não responda a pergunta do título desse texto, dizendo: “tenho que ir trabalhar porque precisamos comer, vestir e pagar as contas”. Uma empresa que está no caminho certo tem colaboradores que responderiam de maneira totalmente diferente a essa questão. Por isso aqui na Clin tudo que fazemos é pra que a nossa gente possa falar que precisa trabalhar porque é a forma que ela tem de contribuir pra melhorar a vida das pessoas e o mundo que em que vivemos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.