Desperta seu sorriso saudável

E num é que o home office chegou pra ficar? Uma pesquisa recente da Cushman & Wakefield, divulgada pela revista Exame, descobriu que cerca de  74% das companhia pretendem instituir o trabalho remoto, definitivamente, no dia a dia das organizações. Isso porque 85% dos executivos entrevistados disseram que viram mais pontos positivos do que negativo, nessa modalidade de prestação de serviço. Mas a verdade é que a gente ainda tem um monte de questões sobre essa “novidade” profissional. Por isso nosso blog hoje vai tentar esclarecer as principais dúvidas e dar boas dicas pra manter a saúde física e mental, trabalhando de casa. Sim eu sei, a gente é muito legal mesmo ☺.

A nossa empatia e capacidade criativa estão sendo testadas como nunca. As empresas precisaram cuidar ainda mais das suas pessoas, só que agora à distância. Grupos como o Nubank chegou a enviar cadeiras ergonômicas para os funcionários, numa tentativa de garantir uma ambiente confortável e favorável ao trabalho remoto. A nossa empresa instalou sistemas de atendimento na casa de cada colaborador do nosso time de relacionamento, pra que conseguissem atender às ligações dos clientes, de casa. E essas adaptações continuam a acontecer diariamente. Mas, e os colaboradores, como estão lidando com isso? Todos tiveram que se adaptar e adaptar a família pra transformar a cama, o sofá, a rede ou a mesa de jantar, em local de trabalho.

Explicando o home office ao cérebro –  Essa semana o The New York Times trouxe uma matéria bem interessante sobre o trabalho remoto. Nela foi citada uma pesquisa com funcionários de empresas dos EUA, que constatou, um mês depois da pandemia, que cerca de 45% dos trabalhadores disseram que já estavam esgotados, trabalhando de casa (o link da matéria está o fim desse texto). E a gente sabe bem o que é isso. Tudo começa quando você acorda e já está no trabalho. Nem precisa tomar banho, engolir um café e trocar de roupa pra sair. Nas famílias com filhos, ainda teria a escola fazendo parte desse roteiro. O cérebro fica maluco. “Oi? Ela ainda está na cama, mas está numa videoconferência, nada relaxada e falando um monte?” Tadinho dos nossos neurônios, né? Nessa mesma reportagem do jornal americano, tem dicas pra você manter o emprego, a produtividade e, principalmente, a saúde em tempos de home office. A gente juntou algumas aqui e colocou umas nossas também. Anota aí:

 	Quando acordar, tire a roupa de dormir, tome um banho e vista algo que você usaria pra trabalhar, ou, pelo menos, uma roupa que você pudesse sair de casa com ela. Ajuda muito, sabia?


 	Tente não trabalhar no mesmo quarto em que você dorme ou relaxa.


 	Estabeleça horários pra começar e terminar de trabalhar. Isso vale para os chefes também, tá? Trabalhar de casa não significa estar 100% do dia disponível pra isso.


 	Elabore ou execute alguma outra tarefa, que não seja ligada ao trabalho, no meio do dia. Seria como uma parada praquele papo na copa, ou um café na área…

Como preservar a saúde quando as tarefas de casa e do trabalho se misturam 

E num é que o home office chegou pra ficar? Uma pesquisa recente da Cushman & Wakefield, divulgada pela revista Exame, descobriu que cerca de  74% das companhia pretendem instituir o trabalho remoto, definitivamente, no dia a dia das organizações. Isso porque 85% dos executivos entrevistados disseram que viram mais pontos positivos do que negativo, nessa modalidade de prestação de serviço. Mas a verdade é que a gente ainda tem um monte de questões sobre essa “novidade” profissional. Por isso nosso blog hoje vai tentar esclarecer as principais dúvidas e dar boas dicas pra manter a saúde física e mental, trabalhando de casa. Sim eu sei, a gente é muito legal mesmo ☺.

A nossa empatia e capacidade criativa estão sendo testadas como nunca. As empresas precisaram cuidar ainda mais das suas pessoas, só que agora à distância. Grupos como o Nubank chegou a enviar cadeiras ergonômicas para os funcionários, numa tentativa de garantir uma ambiente confortável e favorável ao trabalho remoto. A nossa empresa instalou sistemas de atendimento na casa de cada colaborador do nosso time de relacionamento, pra que conseguissem atender às ligações dos clientes, de casa. E essas adaptações continuam a acontecer diariamente. Mas, e os colaboradores, como estão lidando com isso? Todos tiveram que se adaptar e adaptar a família pra transformar a cama, o sofá, a rede ou a mesa de jantar, em local de trabalho.

Explicando o home office ao cérebro –  Essa semana o The New York Times trouxe uma matéria bem interessante sobre o trabalho remoto. Nela foi citada uma pesquisa com funcionários de empresas dos EUA, que constatou, um mês depois da pandemia, que cerca de 45% dos trabalhadores disseram que já estavam esgotados, trabalhando de casa (o link da matéria está o fim desse texto). E a gente sabe bem o que é isso. Tudo começa quando você acorda e já está no trabalho. Nem precisa tomar banho, engolir um café e trocar de roupa pra sair. Nas famílias com filhos, ainda teria a escola fazendo parte desse roteiro. O cérebro fica maluco. “Oi? Ela ainda está na cama, mas está numa videoconferência, nada relaxada e falando um monte?” Tadinho dos nossos neurônios, né? Nessa mesma reportagem do jornal americano, tem dicas pra você manter o emprego, a produtividade e, principalmente, a saúde em tempos de home office. A gente juntou algumas aqui e colocou umas nossas também. Anota aí:

  1. Quando acordar, tire a roupa de dormir, tome um banho e vista algo que você usaria pra trabalhar, ou, pelo menos, uma roupa que você pudesse sair de casa com ela. Ajuda muito, sabia?

  2. Tente não trabalhar no mesmo quarto em que você dorme ou relaxa.

  3. Estabeleça horários pra começar e terminar de trabalhar. Isso vale para os chefes também, tá? Trabalhar de casa não significa estar 100% do dia disponível pra isso.

  4. Elabore ou execute alguma outra tarefa, que não seja ligada ao trabalho, no meio do dia. Seria como uma parada praquele papo na copa, ou um café na área de convivência.

  5. À noite, com a casa em silêncio, pode ser ideal para aquelas atividades que pedem mais foco e concentração. Se você estender um pouco o horário, por causa disso, compense na manhã seguinte. Tudo pode e deve ser conversado, pra que fique bom pra todo mundo.

  6. Com filhos em casa, o diálogo com os líderes precisa ser ainda mais aberto e franco. Determine paradas no meio do dia, pra dar atenção a eles ou a um pai idoso, alguém que também precise de você, dentro de casa. 

Há técnicas como a Pomodoro, que te orienta a cronometrar cada atividade para ter começo e fim. Você determina quanto tempo usará pra tal tarefa e marca no cronômetro. Se isso não despertar muita ansiedade, pode ser uma ótima alternativa pra bombar na produtividade. 

No caso dos nossos dentistas que não têm como atender pacientes de casa, essas dicas valem pra quando você tiver que fazer as atividades administrativas da clínica, para as secretárias que estejam agendando as consultas de casa e até pras atividades da escola dos filhos. Ah, e valem também pra passar aos amigos e familiares, claro. Todos nós estamos reaprendendo a viver no mesmo mundo que o coronavírus. E nossa saúde física e mental precisam estar preservadas, pra que a gente tenha ânimo, lucidez e disposição de reconstruir e retomar as nossas vidas com a mesma força de sempre. 

Links/fontes: https://www.nytimes.com/2020/05/26/opinion/work-from-home.html
https://exame.com/carreira/home-office-definitivo-para-74-das-empresas-no-brasil-a-resposta-e-sim/

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.