Categoria: Sorriso Saudável

A criança corre, se esconde, chora, grita e faz qualquer negócio para que a hora da escovação seja deixada de lado. Vários pais contam episódios destes dentro de casa, mas como fazer para evitar esse tipo de situação?
A informação é sempre a melhor arma para ganhar a batalha em prol da saúde bucal. Uma boa estratégia é explicar a criança por quê escovar os dentes é tão importante. Quem pode ajudar a desmistificar os cuidados e como fazer a higiene diária fique mais fácil é o odontopediatra. “As visitas ao dentista devem começar logo cedo. Assim, o especialista já pode começar de pequenininho os cuidados adequados. Para ajudar com a missão da escovação indico que os pais comprem escova de dentes com bichinhos, para ajudar que a criança se interesse pelo momento. Se a criança quiser escovar sozinha, o adulto pode assessorar e depois pedir para finalizar a tarefa”, explica a odontopediatra, Dra. Maria Jaci Tiburcio.
Além do diálogo, para ajudar a escovação, os pais também podem convidar os brinquedos que o pequeno mais goste para se juntar a farra da escovação na pia. Assim, o que antes era um sofrimento, pode virar uma folia em família. Outro artifício é escolher o sabor que a criança preferir para o creme dental. Isso pode ser uma mão na roda, caso uma das razões para a resistência seja o sabor da pasta. Vale frisar que cremes com efeito branqueador devem ser evitados, assim como o adulto responsável deve chamar a atenção da criança para não engolir a pasta por causa do Flúor, que em excesso pode ser prejudicial ao organismo.
Ficar sem cuidar da saúde bucal é algo impensável. “A falta de escovação e higienização pode causar gengivite, mau hálito, lesões na boca e endocardite bacteriana”, explica Dra. Maria Jaci. Ou seja, não dá para deixar a criança sem realizar a escovação. Isso pode gerar um problema de saúde sério que pode ser totalmente evitável.…

Socorro! Meu filho não quer escovar os dentes!

A criança corre, se esconde, chora, grita e faz qualquer negócio para que a hora da escovação seja deixada de lado. Vários pais contam episódios destes dentro de casa, mas como fazer para evitar esse tipo de situação? A informação é sempre a melhor arma para ganhar a batalha em prol…

Saiba mais
A educação é um grande aliado em qualquer fase do desenvolvimento de uma pessoa. Na infância, então, quando o indivíduo está desenvolvendo personalidade, hábitos e traços de caráter, nem se fala.
Utilizando elementos lúdicos é possível prevenir males que atingem a saúde bucal, o medo do dentista e estimular o gosto por escovar os dentinhos, cultivando o sorriso saudável.
Para ajudar com esse tema, confira abaixo alguns livros que podem ajudar a trabalhar a temática com os pequenos:
1)    Quem tem medo de dentista? – Fanny Jole e Jean Nöel Rochut
Sinopse: É difícil ficar tranquilo em um cenário de fios retorcidos, brocas, alicates assustadores e dentaduras expostas. Este livro faz parte da série “Quem tem medo…” e ajuda a desmistificar os medos mais comuns na infância.
2)    E o dente ainda doía – Ana Terra
Sinopse: Jacaré gosta de tomar banho de sol, folgado e largado. Mas este não conseguia descansar com uma tremenda dor de dente que lhe deu… Ah, coitado do jacaré! Vieram coelhos, sapos, ratos, tatus, toupeiras, patinhos e outros bichos para ajudar… Mas, e o dente? O dente ainda doía! Descubra como essa história vai acabar com este livro que brinca com os números, em ritmo de lengalenga e bastante diversão!
3)    Crocodilo e o dentista – Taro Gomi
Sinopse: O Crocodilo não queria parar de brincar, mas precisa se cuidar: está com dor de dente! No consultório, dentista e crocodilo se trombam, com medo e respeito. O que um diz, o outro repete. Como será que eles vão se sair?
4)    Billie B. Brown, Meu dente caiu! – Sally Rippin
Sinopse: Você tem um dente mole na boca? Billie tinha um e estava ansiosa esperando que ele caísse. Todos acharam graça e se ofereceram para ajudar. O pai queria puxar o dente com um barbante. O melhor amigo dela, o Jack, sugeriu que ela mordesse uma maçã. Porém não foi preciso nada disso: bastou uma queda no recreio e lá se foi o dente voando para o chão! Empolgada, ela nem se preocupou com os joelhos machucados, só pensava na linda moeda dourada que ganharia da Fada do Dente! Mas, de repente, que susto! O dente sumiu! Procura daqui, dali e nada! Billie estava muito preocupada, pois agora a fada certamente não viria. Mas ela é uma garota muito esperta e logo tem uma grande ideia. O que será que a sardenta (e agora banguela) Billie B. Brown vai fazer? Ela conseguirá sua valiosa moeda? Venha logo descobrir!
5)    O menino que detestava escovar os dentes – Zehra Hicks
Sinopse: “Billy odeia escovas de dentes, por isso, sempre está com os dentes sujos! Ainda mais quando pode fazer tantas outras coisas, em vez de escovar os dentes… Mas Billy nunca havia visto uma escova brilhante antes. Tantas coisas legais que você pode fazer com ela! Mas, será que uma dessas coisas é escovar os dentes? “…

Livros que ajudam as crianças a cuidarem mais dos dentinhos

A educação é um grande aliado em qualquer fase do desenvolvimento de uma pessoa. Na infância, então, quando o indivíduo está desenvolvendo personalidade, hábitos e traços de caráter, nem se fala. Utilizando elementos lúdicos é possível prevenir males que atingem a saúde bucal, o medo do dentista e estimular o gosto…

Saiba mais
Não seria exagero dizer que em algum momento da vida você precisou lidar com halitose, seja consigo ou com algum conhecido. No Brasil, pesquisas apontam que aproximadamente 30% da população sofre com este problema. Na maioria das vezes, a simples presença de mau hálito pode provocar sérios prejuízos pessoais, emocionais e até profissionais.

Apesar de não ser propriamente uma doença, o mau hálito é visto como um sintoma de vários desequilíbrios que ocorrem no organismo, provocando um odor bastante desagradável vindo da boca durante a expiração.
Maioria das causas pode ser bucal
Segundo a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), existem aproximadamente 60 causas distintas para o mau hálito. Porém, vale ressaltar que, segundo alguns estudos, as origens do mau hálito podem ser bucal (de 92% a 96 % dos casos) ou extrabucal (de 4% a 7% das ocorrências). Entre as diversas causas do mau hálito estão o fumo, infecções respiratórias, refluxo ácido e higiene bucal inadequada.

Contudo, as causas mais comuns originadas na cavidade bucal são a saburra lingual e as doenças da gengiva. Quando o problema é originado nas vias aéreas superiores, os principais responsáveis são o jejum prolongado, a ingestão de alimentos odoríferos (capazes de alterar o hálito), o diabetes não compensado, a hipoglicemia e as alterações hepáticas, renais e intestinais.
Tratamento deve ser com especialista
Para o tratamento da halitose e das alterações de comportamento que ela provoca é preciso consultar um profissional capacitado, com conhecimento multidisciplinar, nas diversas especialidades odontológicas e noções de psicologia, otorrinolaringologia, distúrbios do sono, gastroenterologia, nutrição e endocrinologia, entre outras.

Mas se você tomar alguns cuidados em casa com sua higiene bucal algumas dores de cabeça podem ser evitadas. Estudos comprovam que a escovação dos dentes e da língua, pelo menos três vezes ao dia, com um creme dental antibacteriano com flúor, combinada com o uso do fio dental e antisséptico bucal, pode ajudar a eliminar o mau hálito.




…

Mau hálito pode provocar prejuízos pessoais, emocionais e profissionais

Não seria exagero dizer que em algum momento da vida você precisou lidar com halitose, seja consigo ou com algum conhecido. No Brasil, pesquisas apontam que aproximadamente 30% da população sofre com este problema. Na maioria das vezes, a simples presença de mau hálito pode provocar sérios prejuízos pessoais, emocionais…

Saiba mais
grávida

Grávidas podem fazer obturação?

Sim. É possível que gestantes possam passar por esse tipo de procedimento. Mas o primeiro passo é saber que o seu dentista precisa ter consciência da sua condição de gestante. Isso porque baseado nisso ele poderá escolher os melhores materiais e, até mesmo, ponderar a urgência do procedimento. Qual tipo de…

Saiba mais